Páginas

14 de mar de 2017

Eu li: Quarto


Contei pra vocês que meu digníssimo me deu um Kindle de presente de natal? Pois é. Quando fui assaltada, levaram meu pimpolho e desde então venho fazendo um certo drama pra ganhar um novo. Só digo que: deu certo. Mas daí virei uma leitora voraz e compulsiva e me perdi aqui na lista dos livros lidos. #malzaê

Depois de abandonar o Just Kids da Patti Smith por razões de: chato pra caralh*, pedi dicas pra Nah, do Pra ver no mundo, que me passou uma certeira: Quarto.

Olha, vou falar pra vocês: foi difícil abandonar a leitura. Sabe aquela hora que você fica no desespero de sono, mas tá muito emocionalmente investido na história? Isso. O tempo todo. Não, péra. Isso até atingir o clímax do livro, que não contarei qual é. :)

Pra mim, a grande sacada da narrativa é ter uma criança de 5 anos contando o que está acontecendo, porque daí você precisa se emaranhar na descrição lúdica pra entender o livro. Achei fantástico. Sério mesmo. Queria muito explorar fatos específicos, mas é praticamente impossível falar deles sem dar spoilers, então espero deixá-los com curiosidade suficiente para embarcar nessa história.

Capa do livro de Emma Donoghue (a foto é do site Save the Cat)

Uma crítica é que o clímax do livro chega muito rápido e depois a história não se segura. Ela sobe de uma vez e depois vai amornando, amornando, até esfriar por completo. Há algumas tentativas de segurar a atenção do meio pro fim, mas nem se comparam com a tensão que você fica no começo. Mesmo assim, acho que vale a pena dar aquela explorada.

Como era de se esperar de um livro tão descritivo, o danado inspirou um filme, O quarto de Jack.O filme é bem fiel ao que importa na história, mas muito resumido. A história fica quase boba sem os detalhes que dão cor (e tensão) à narrativa. No livro fica mais claro porque as personagens têm determinadas atitudes, mesmo que contadas por uma criança de 5 anos. Alguns fatos sem explicação (nem spoiler!): o liga e desliga de luzes, a gritaria, o desespero pra sair daquele lugar. Isso tudo não tem muita explicação no filme. Está lá, mas parece sem sentido. Quando contei essas coisas pro boy ele fez "ahhhhh, podia ter sido melhor explicado mesmo". Ainda assim, acho que é uma boa maneira de visualizar o livro, achei bem parecido ao que eu tinha no meu imaginário. A pergunta que Jack faz no final é exatamente como eu me senti: "O quarto encolheu?". O trailer vai aqui embaixo, mas pode estragar algumas surpresas. Estejam avisados.



Pois é. Foda.

E você? Já leu o livro ou viu o filme? O que achou?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...