Páginas

9 de jun de 2016

O que não fazer em Campos do Jordão

Paisagem bem mais ou menos em Amantikir - Campos do Jordão - SP

No feriado de Corpus Christi, resolvi me aventurar numa roadtrip de São Paulo até Campos do Jordão. Nessa brincadeira, acabei aprendendo algumas coisas, especialmente coisas que não se deve fazer em Campos do Jordão.

1. Vá de carro. Eu cogitei ir de ônibus, mas acabei descobrindo que não tem ônibus direto de São Paulo pra Campos do Jordão (só um pinga-pinga que leva horas). Além disso, qualquer coisa que fique fora de Capivari é longe pra ir a pé. Cito: Palácio Boa Vista, Museu Felícia Leiner, Amantikir, Horto Florestal... Pra ser honesta, nem vi ônibus urbano em Campos do Jordão e acredito que a frequência com que passam não seja nem perto do ideal. Táxis cobraram das meninas que estavam hospedadas no mesmo lugar que eu uma pequena fortuna de 70 reais por um percurso de 7 minutos. Que fique bem claro: TENHA UM CARRO A SUA DISPOSIÇÃO.

2. Hospede-se em Campos do Jordão. É mais caro? Sim. Mas vai te poupar tempo e dor de cabeça. Eu tinha reservado um hotel em Santo Antônio do Pinhal, a cerca de 20km de Campos do Jordão. Pareceu-me boa ideia - até eu chegar a Campos do Jordão. O percurso é mesmo curto, mas é feito num tempo ridículo: 1h30-2h. Tudo por causa do trânsito. Pra subir a serra, a pista é única e até que todos os carros de SP conseguem se enfiar na pequena Campos do Jordão... ah, haja paciência, viu? Agora imagine pegar a estrada pra ir e vir todos os dias, quando você deveria estar tomando chocolate quente em Capivari? Não dá.

Vai ter engarrafamento. Ah, se vai!

3. Vá com bala na agulha. Campos do Jordão é cidade turística feita para os milionários que moram em São Paulo. Ou seja: se você já acha os preços paulistanos um absurdo, prepare-se para se surpreender, especialmente durante o festival de inverno, no mês de julho. Minha dica é explorar as opções no centro comercial da cidade e deixar o famoso bairro Capivari só pra tomar um chocolate quente ou uma cerveja artesanal tirada no chopp em um esquema "food-truck".

4. Leve paciência. Aparentemente Campos do Jordão fica cheia em qualquer fim de semana - especialmente os prolongados. Então vai demorar pra chegar, vai demorar pra ser atendido, vai demorar pra sair do lugar. Nada mais irritante que aquele nervosinho que que passar na frente na fila de pagar ou que ultrapassa pelo acostamento. VAI DEMORAR. Lide com isso.

Prepare-se pra odisseia do tira-e-põe-casaquinho

5. Carregue aquele casaquinho. Às 13h o termômetro da Praça do Capivari aponta 20 graus e você pensa "hummm delícia de tempo". Daí, de repente o tempo fecha, o vento passa cortando e menos de uma hora depois a temperatura já despencou pra 12 graus. É assim louco mesmo. Então o que eu fiz foi andar com blusa fina (de tricô, por exemplo), uma echarpe e uma jaqueta. De acordo com a temperatura eu ia tirando ou colocando roupa. E não se empolgue com o sol. As temperaturas ficam muito diferentes se você está sob ele ou na sombra. Então passeios no parque, por exemplo, podem ser uma grande odisseia do tira-e-põe-casaquinho.

No resto, aproveite a visita e se joga. A cidade é deliciosa, cheia de passeios incríveis e vale todo o perrengue pra ir e vir.

Para ler mais sobre Campos do Jordão:
- Diário de Bordo Campos do Jordão - Chegada a São Paulo
- Diário de Bordo Campos do Jordão -  Rumo à cidade
- Diário de Bordo Campos do Jordão - Amantikir e Museu Felícia Leirner
- Diário de Bordo Campos do Jordão -  Horto Florestal

Um comentário:

  1. Realmente, é tudo longe. Eu aluguei um carro pela internet e foi super legal meu final de semana

    ResponderExcluir

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...