Páginas

1 de mai de 2016

Deixa as puta*!

Foto de Paul Keller (Flickr)

 *A concordância é essa mesma, pois: goianês. Aceita que dói menos.

Como cês devem saber, sou menina criada em Goiânia, esse lugar que pode ser machista pra caralho, então passei uma vida ouvindo a galera falando mal das puta. Eu mesma fui uma delas e ainda hoje tento trocar o palavrão "filho da puta", pois já sabemos que nem tudo é culpa da mulher, minha gente. O cara é um escroto, mas sua mãe pode não ser, daí nada a ver xingar alguém de filho da puta, haja vista que se está xingando a pobre mãe e não o cara.

Calma, voltei. Foco.

As puta.

Acho normal o trabalho das puta. Um trabalho como outro qualquer. Elas oferecem um serviço, os caras pagam e pronto. Uma modalidade de negócio foi concluída.


Foto de Blemished Paradise (Flickr)

Se você pode usar os serviços de uma massagista, de uma manicure, de uma depiladora etc etc etc, por que outras pessoas não podem usar os serviços da puta? Só porque tem sexo no meio? Mas eu não entendo esses problemas que cês têm com sexo. "Ai, que degradante". Ai, filha. Ninguém tá pedindo pra você se prostituir. Degradante é trabalho escravo. E tenho certeza que você tem muito mais compaixão por esse povo (cutuquei sua lógica?). "Ah, mas pelo menos eles estão fazendo um trabalho honesto". Pra mim, desonesto é roubar e matar. Ou fazer algo em que não estejam todas as partes envolvidas de acordo. Exemplo: estupro. Tá me acompanhando?

Alguém falou que é porque as puta são responsáveis por destruir casamentos da família tradicional brasileira. Sério. Sério mesmo. Acho MUITO engraçado que as minas nem por um instante pensem que a culpa é do cara, que foi lá trair a mulher, pagando por sexo (ou não pagando, enfim). As minas tão sempre culpando outras minas. A culpa nunca é dos caras. Que fantástica essa linha de raciocínio (#sqn).

Foto de Devon Buchanan (Flickr)

Dia desses falei "tenho nada contra as puta, inclusive seria uma, sem problemas, se me sobrasse apenas essa opção". Fez-se o silêncio sepulcral, como se eu tivesse dito que mataria alguém se necessário fosse. Gente. É só um serviço.

Poderia aqui me alongar e falar sobre a falta de legislação pras puta, mas vivemos num país onde não se pode nem abortar quando se é estuprada. Então, né? Vou parar por aqui mesmo.

Deixa as puta trabalhar. Deixa as puta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...