Páginas

2 de ago de 2014

York, a cidade inglesa medieval

City walls de York
"A bit lost in the streets, a bit lost in time" (York, 25 de maio de 2013)

É assim que eu descrevo York no meu diário de viagem. Eu não me lembro como fiquei sabendo de York, mas desde a primeira vez que eu li alguma coisa sobre a cidade eu sabia que seria um dos meus destinos enquanto estivesse em Londres. Era a única cidade que eu não abriria mão de conhecer. E eu estava absolutamente correta sobre meus instintos. York é minha cidade inglesa favorita depois de Londres e eu moraria lá fácil.

O lugar é cheio de referências vikings e Jorvik foi o primeiro nome que ele teve. Daí os romanos chegaram e construíram muros pra proteger a cidade. E a maior parte dele está de pé até hoje. Mais: você pode caminhar por cima deles e ver a cidade de uma linda e nova perspectiva. Além de tudo, era um importante ponto do País, principalmente na era Tudor, quando houve a mudança da igreja católica para a igreja anglicana. Se bem me lembro, o norteaceitou as novas ordens de Henrique VIII e evitou uma guerra civil no País porque (not yet) Bloody Mary foi lá fazer um social na York Minster.

Galera aproveitando um sol no Museum Gardens

Andar por York é como ser testemunha da História. Eu, que sou bem leiga em História Inglesa consegui identificar um monte de episódios fantásticos e super importantes na construção do que tornou a Inglaterra o que ela é hoje. A bit lost in the streets, a bit lost in time... Tudo nessa viagem saiu tão perfeito que meu coração quase transborda de tanta saudade quando falo de York. Então antes que eu comece a chorar, vou logo pra parte prática do passeio.

Uma coisa que eu só fiquei sabendo quando já estava de volta ao Brasil é que você deve comprar bilhetes de trem com antecedência. Paguei 90 libras pelo bilhete de ida+volta quando eu poderia ter pago, sei lá, umas 20 libras. É. Otária. Não façam o mesmo. E eu também não sabia que no feriado a galera curte ir pra Edimburgh. E o que isso tem a ver? Bem, York é caminho. E o que isso significa? Trem lotado. Tipo Eixo Anhanguera às 6 da tarde, meus amigos.

York Minster

Eu, muita ingênua nessas coisas de terra da Rainha, achei que comprando um bilhete eu comprava também o direito de usar um banco. ryzos. Eu mal consegui me enfiar no trem. Até Leeds eu consegui ir sentada no chão perto das malas, mas daí pra frente eu tive que levantar e tava tão cheio, mas tão cheio que eu nem precisava me segurar. Meu corpo estava bem estável entre outros corpos, obrigada. Detalhe: quase 4 horas de viagem, hein? Delicinha.

Levei um super casaco, porque a BBC Weather me disse que estaria um frio de lascar na cidade e foi ótimo ser ingênua nessa parte porque quando cheguei tava um sol de rachar mamona. Felicidade é pouco pra descrever (só quem já esteve na Inglaterra pra entender). Peguei um mapa na estação ferroviária e me permiti ir andando sem rumo. Cruzei o rio me maravilhando com cada detalhe da arquitetura, do clima, da animação das pessoas por conta do sol...(sorry, tô ficando emotiva de novo) Fui parar no Musem Gardens, onde uma galera tava jogada aproveitando pra comer e beber algo. Visitei o Yorkshire Museum e segui andando.

Pracinha de York

Olhei pra cima e me deixei guiar pelo ponto mais alto, terminei na frente do York Minster. Tão linda quanto você possa imaginar, por dentro e por fora. Gostaria aqui de agradecer o inventor do estilo gótico pois: você me faz feliz, filhinho. Com (muita) fome, fui atrás de algo pra comer e decidi me enfiar numa coisa que parecia local - nada de Costa, Prêt-a-Manger and so on. Saindo da York Minster pela Dumcombe St, há uma rua à esquerda, chamada Blake Street. Bem no comecinho, Patisserie Deli (obrigada, Google Street View). Olhei o cardápio e não tinha nada que eu queria. Daí pedi pra moça se rolava uma tábua com cheese, meat, olives and bread. Na hora. Por apenas 7 librinhas eu me entupi de deliciosos embutidos e suco de cereja. Pois é, obrigada, Inglaterra. Suco de cereja, Deus. Ó, Deus.

York Minster por dentro, com plus de grupo gregoriano fazendo um showzinho

Vitrais da York Minster

Já no fim da tarde segui pro hostel, o The Fort Boutique Hostel. Acabei pagando caro porque decidi ir meio de última hora e já não tinha mais vaga em quartos coletivos. Foram £50 por uma suíte com cama de casal. O lugar é incrivelmente limpo, numa vibe diferente dos hostels comuns. A "recepção" é no Kennedy's Restaurant, eles te dão a chave do quarto, a senha da porta da frente e você se vira. Não fica ninguém à disposição, sabe? Mas foi bem tranquilo. Enquanto a mocinha me mostrava o hostel, pedi indicação de um lugar pra sair pra dançar (sábado, gente). Daí falei que gostava de música anos 80 e ela me indicou o Reflex 80's Bar (obrigada de novo, Google Street View). Fica na Micklegate St. e toca anos 80 a noite inteira. Vocês acham que eu me diverti, sim ou com certeza?

Como eu estava me divertindo demais, acabei esquecendo da hora e quando me dei conta já era perto das 5 da manhã. E eu sozinha pra voltar pro hostel, que fica numa ruela que, de tão pequena, nem está no mapa. Sim, eu me perdi. Sim, foi estranho. ("I got lost and found myself trapped in a History Book", segundo meu diário de viagem). Cinco horas da manhã sozinha e perdida numa cidade medieval, eu já estava esperando encontrar um guarda real a qualquer momento. Mas era sábado e logo encontrei uma praça cheia de gente. Abordei os caras de uma ambulância estacionada e eles me levaram até o hostel. Eu amo a Inglaterra demais, gente

Quintal de um hotel e York Minster no fundo

Pois bem, no dia seguinte me despedi do meu incrível quarto e voltei pra Patisserie Deli pra tomar café da manhã e foi lá que fui apresentada a uma maravilha inglesa, também conhecida como scones. Lembro de ter lido no cardápio e não fazer ideia do que era. Perturbei a mocinha pra me explicar, mas ó, não parece com nada do que a gente conhece. Não é bolacha, não é bolo, não é pão. É scone. Servido com clotted cream (uma espécie de creme de natas) e geléia. Não perguntem, apenas provem. E me agradeçam depois (eu gosto de gente educada, rs).

Fotinha roubada do livrinho de receitas da BBC: scones com clotted cream e geleia

A cidade é cheia dessas casas de susto (scary tour), que a Inglaterra tanto ama. Pensei "por que não?" e me aventurei na mais famosinha, chamada Haunted. A dona do lugar me deu uma tirada, dizendo que se meu inglês não fosse bom, eu não entenderia, não ficaria assustada e além de tudo ficaria presa lá dentro porque as instruções estão nas palavras do áudio dos quartos. Eu fiquei bem brava, mas fui assim mesmo, junto com um outro casal. Eu entendi tudo, não fiquei com medo hora nenhuma e achei uma droga. O problema não é meu inglês, minha senhora, é esse seu programa de índio. Humpf. By the way, em York também tem uma Dungeon, mas eu fui na de Londres e gostei tanto, deixa pra ir na de lá. ;)

Um pedacinho da City Walls

City Walls

City Walls

Depois eu fui pro Jorvik Viking Centre, que é uma espécie de museu do tempo viking, um passeio super legal, especialmente se você estiver com crianças (a criança que vive em mim amou). Só acho que não consegui aproveitar muito porque eu já estava bem cansada de tanto bater perna (e da noitada anterior) e, pra interagir melhor, é bom ler as coisinhas todas pra coisa fazer sentido. O lugar tem uma lojinha ótima, cheia de referências vikings e celtas e meu lado Wicca quase teve um troço vendo tudo. 

Clifford's Tower

Carrossel aos pés da Clifford's Tower

Segui pro Clifford's Tower, de onde dá pra ter uma visão linda da cidade toda. É uma torre também dos tempos romanos, uma especial para ver com antecedência suficiente qualquer ameaça de ataque / invasão. Logo nos pés da torre fica um carrossel que toca a musiquinha típica das corridas de cavalos nos desenhos animados. Não tinha como não dar uma voltinha. Pra me despedir da cidade (já com lágrimas nos olhos, que lugar incrível, puta que pariu!) eu fiz um desses passeios de barco. Não é assim "noooooooossa, que incrível", mas serviu bem pro momento que eu estava vivendo ali, pra me despedir bem bucolicamente, devagar, na velocidade da corrente do rio Ouse. York, quero te ver de novo. E logo.

Até breve, York!

3 comentários:

  1. Que amor! <3
    Achei tudo lindo. Mas agora só consigo pensar em scones e suco de cereja. Suco de cereja. Sério. Preciso muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nay, é um suquinho engarrafado bem vermelhinho e incrivelmente delicioso e refrescante. Tô salivando só de pensar! Os scones eu posso fazer pra vc, já aprendi com a BBC. ;)

      Excluir

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...