Páginas

28 de mar de 2014

Mulher com pouca roupa tem que ser estuprada, dizem 65% dos entrevistados pelo Ipea*

Deveria ser óbvio, mas não é

* O Ipea corrigiu os dados desta pesquisa, alertando que os 65% são, na verdade, 26% (Ipea corrige pesquisa sobre abuso contra mulheres). Isso não torna o resultado menos alarmante, na minha opinião, dadas as ocorrências citadas no texto que se segue. A discussão continua pertinente e importante.

O Ipea publicou ontem (27/3/14) o resultado de uma pesquisa feita no Brasil e que mostra, entre outras coisas, que a maioria dos brasileiros acredita que mulheres devem ser atacadas se estiverem usando roupa provocante. Eu não vou tentar ser imparcial porque sou jornalista e blá blá blá. Isto está ERRADO. Ponto final. Eu juro que não entendo por que temos que discutir uma coisa imbecil dessas em 2014. Os culpados pelo estupro são os estupradores. Sério que isso precisa ficar mais claro do que já é?

Aí você pensa: chegamos ao fundo do poço, mas não. Gente, sempre dá pra piorar. Aí embaixo segue um gráfico feito pelo Estadão com todos os itens que fizeram até o Ipea ficar de boca aberta:

(Clique na imagem para aumentá-la)
Trecho da matéria do Estadão: "Os resultados provocaram espanto entre os próprios autores da pesquisa. A violência contra a mulher, avaliam, é vista como forma de "correção". A vítima teria responsabilidade - por usar roupas provocantes ou por não se comportar do modo "desejado". "Mais uma vez, tem-se um mecanismo de controle do comportamento e do corpo das mulheres da maneira mais violenta que possa existir", dizem os autores da pesquisa."

Em outra matéria do Estadão, um resumo do que eu digo TODOS OS DIAS DA MINHA VIDA: "Na opinião da professora do Departamento de Sociologia da PUC-SP Carla Cristina Garcia, os resultados mostram uma inversão de papéis entre mulheres e agressores. "O comportamento da vítima jamais pode ser apontado como motivo da violência", alerta. "É preciso acabar com essa cultura do estupro, que está naturalizada.""


Timing - só que não

Essa pesquisa apenas corrobora com o que vimos acontecer no metrô de São Paulo, por exemplo. Se você esteve em outro planeta nos últimos dias, eu te dou uma forcinha:

Sites que exaltam “encoxadas” se multiplicam e praticantes marcam até “rolezinhos”

Homem é preso suspeito de "encoxar" e de tentar tirar calça de passageira em trem lotado da CPTM

"Não vou usar mais vestido no metrô", diz mulher que teve partes íntimas filmadas na estação da Sé

Quero deixar bem claro aqui que isso não começou a acontecer agora e não acontece apenas em SP. Eu já fui vítima de abuso em ônibus de Goiânia, há uns 12 anos. Isso está em todo lugar desde que o mundo é mundo. Uma vida de abusos contra mulheres nesse País e aí vem o governo de São Paulo e faz o quê? Uma campanha engraçadinha dizendo que é legal o metrô ser lotado pros homens poderem xavecar as mulheres. Sério isso, SP? É sério?

Propaganda do Metrô diz que lotação é boa para 'xavecar mulherada'

Aí obviamente deu merda. E o que aconteceu? Virou o samba do crioulo doido. De repente ninguém passou a ser culpado pela peça publicitária imbecil. Aonde? Aqui:

Metrô vai processar rádio por propaganda que incentiva 'xaveco'

Com tanta exposição, a Assembleia paulista tenta criar projeto para criação de vagão exclusivo para mulheres. E as feministas são contra por razões óbvias. Mas se não é óbvio pra você, deixa eu te ajudar com extração de outro link do Estadão: "O projeto, no entanto, sofre resistência do metrô e de feministas. “Separar homens e mulheres é uma forma de proteger o machismo e naturalizar a violência”, diz Sônia Coelho, da Sempreviva Organização Feminista. “Uma maneira de transformar a vítima em culpada. Daqui a pouco, vão dizer que não podemos mais usar saia.”". Segure suas potrinhas em casa porque meu alazão está à solta. Quem mais já teve que ouvir uma barbaridade dessas na vida? Melhor ouvir que ser surda? Sempre fico com dúvidas.


Meu apelo

Amigo lindo que lê esse blog, você certamente é uma pessoa de bom senso e eu e todas as mulheres que você conhece contam com a sua ajuda. Essa luta não é e não deve ser só nossa. A cada vez que você ri de uma piada machista ou se cala diante de um comentário do tipo "também com uma saia daquele tamanho ela estava pedindo pra ser estuprada", uma mulher que você ama está mais próximo de ser violentada. E a violência vem em inúmeras formas. No olhar do caminhoneiro na rua; no fiu-fiu do pedreiro; nos comentários maldosos entre os amigos; na encoxada no metrô; no abuso de uma mulher bêbada; no estupro cometido por pais, avôs, namorados e maridos. "Porque mulher foi feita pra dar prazer pro marido - mesmo que ela não esteja a fim".

É claro!
Você que se cala diante disso está sendo conivente com a situação. Você está alimentando a cultura de estupro. Você está dando razão à culpabilização da vítima. Você está contribuindo para que todos esses abusos ocorram. Não se acovarde. Não se cale. Não. 

Reaja. Confronte. Brigue por nós. Você que tem filhos, ensine-os que abusar é errado, que estuprar é errado e que o machismo prejudica mulheres e também homens. Não acredita? Então dê uma olhada aquiaqui e aqui. Stand up for us. É possível viver num mundo sem violência contra as mulheres - ou pelo menos com MUITO MENOS violência. Faça parte desta mudança. Mude o discurso, enfrente os amigos babacas. Vai te fazer uma pessoa melhor e te proporcionar um mundo melhor.

12 de mar de 2014

Pub crawl no St. Patrick's Day em Londres!!!


Já contei pra vocês que este blog que vos fala já rendeu pelo menos um amigo? Então. É o Rafael, do Tchê in London, um blog cheio de gauchês e dicas ishpértassxx da terra da Rainha (alguém duvida que eu ame essa expressão?). Corre lá pra ver tudo!

Daí que semana que vem tem St. Patrick's Day, aquele dia em que todo mundo enfia o pé na jaca dizendo que é em homenagem ao irlandês verdinho. O Rafa e o Londres para Principiantes tão organizando FOR FREE um pub crawl* histórico, só com lugares massa pra você tomar aqueeeeele pint de cerveja. Já vou dizendo que o carinha verde gosta mesmo é de cider, viu? Tome uma em homenagem ao danadinho!

O pub crawl vai ser em Londres (duh!) das 18h às 22h no dia 19 de março, é de graça e tudo o que você precisa fazer pra se divertir é se inscrever rapidão antes que acabem as vagas. Fechô, gente? (UPDATE em 13/3/14: As vagas já se encerraram, mas certamente terão novos pub crawls mais pra frente!)


* Pub crawl é uma atividade comum em Londres, onde amigos vão pingando de pub em pub, tomando uma cervejinha ou comendo em cada lugar, conhecendo gente nova e se divertindo. Minha escola organizava pub crawl toda sexta-feira e era ótimo. Acho até melhor que ficar sentado num boteco a noite inteira. Que tal tentar?

4 de mar de 2014

I blame Jane Austen

Minha coleção AUSTEN, Jane.

Vocês podem não acreditar, mas eu nem sempre fui louca com a Inglaterra. Lembro-me que estudar inglês nos Estados Unidos era uma certeza de vida desde que isso me passou pela cabeça, aos 12 anos. Tudo mudou quando fui passar férias na casa da Nay, que em 2011 morava no Rio de Janeiro. Falávamos dos seriados que eu estava assistindo quando ela citou os "seriados de mulherzinha da BBC". Não dei muita importância pra coisa e ela me passou Pride and Prejudice pra ver. Versão da BBC de 1995, total de 6 episódios. Resultado: uma madrugada em claro porque foi impossível abandonar a história pela metade.

Figurinos de Pride and Prejudice no Jane Austen Centre

O sotaque, as paisagens deslumbrantes, as roupas, o sarcasmo, a incrível Lizzy Bennet e o apaixonante Mr. Darcy. Que conjunto! Depois veio Emma, essa patricinha nojenta que a gente acaba por amar. Razão e Sensibilidade me fez sofrer tanto! Obrigada, BBC! Depois de assistir a essas belezas cinematográficas fui obrigada a conhecer a autora dessas histórias, Miss Jane Austen. Se há alguém nesse mundo que me fez ter certeza de que meu lugar é na Inglatera, essa pessoa é Jane Austen.

Orgulho e Preconceito é sua obra-prima, não há nenhuma dúvida. Fiz questão de comprar os livros escritos no original e a história de Lizzy Bennet e Mr. Darcy foi a primeira que eu consegui concluir em inglês. Adoro Emma e Razão e Sensibilidade, mas acho Persuasão e Northanger Abbey meio monotemáticas, rasas. Confesso que ainda não li Mansfield Park, mas tenho a impressão de que ela se iguala às últimas duas. Confere, produção?

Fachada do Jane Austen Centre, em Bath

Jane Austen me influenciou na escolha do país para aprender inglês, na escolha das cidades a conhecer, nos passeios e até a entender o Feminismo (pois é!). Obrigada, Jane my friend!

Eu e Corine, "fantasiadas" de Lizzy Bennet

Experimentei essa delicinha em Bath

É claro que fui a Bath, uma das cidades em que Jane morou e onde se passam duas de suas histórias (Persuasão e Northanger Abbey). Conheci o Jane Austen Centre e pude brincar de ser Lizzy Bennet por um dia com os vestidos do século XVIII. Fiquei frustrada no Assembly Rooms, onde eram feitas as festas da sociedade, porque hoje em dia é apenas o salão de um restaurante. Andei pelo Royal Crescent e me lembrei de Anne Elliot correndo desesperada com medo de não alcançar seu amor, em Persuasão.

Resultado do teste do Buzzfeed: muito amor, muita emoção

A maior das minhas alegrias foi fazer o teste do Buzzfeed e descobrir que dentre as heroínas de Jane Austen, me pareço mais com Lizzy Bennet, a minha favorita. Não, não foi alegria. Foi orgulho mesmo. Faz o teste e me conta seu resultado nos comentários?

Eu acho que todo mundo tinha que ler Orgulho e Preconceito pelo menos uma vez nessa vida. E não vale dizer "ah, não gostei do filme", porque o filme é RUIM. Você assiste as séries da BBC e a gente volta a conversar. Aproveita que a Livraria Cultura tá fazendo promoção das produções da BBC e garante aí o box completo com as 6 obras da Jane Austen por R$ 79,90. Então deixa eu te dar um gostinho da cena clássica de Collin Firth no lago e desconcertado perguntando 20x como vai a família da Liz. Ai, ai. Suspiros.




E você? Qual seu livro preferido da Miss Austen? Tem outro autor inglês que faz seu coração bater? Me conta!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...