Páginas

20 de mar de 2011

O tempo quase acabou


Neste post aqui eu me perguntei quanto tempo duraria meu amor pelo jornalismo a ponto de abdicar de tantas coisas que também são importantes para mim. Esse ainda não é o meu "cansei", mas confesso que caminhei um passo bem longo pra esse rumo.

Hoje encontrei um dos meus melhores amigos de todos os tempos, que também está sofrendo desse mal. O mal da falta de expectativa na profissão. Só que ele sofre em relação à Biomedicina. Com a diferença que seu sonho é conseguir estudar Medicina. E eu sempre sonhei em fazer Jornalismo mesmo. Quédizê, ele ainda tem chance, eu não. Ele me perguntou: você quer fazer outro curso? E eu: Sim. Ele retrucou: Qual? E aí fez-se um silêncio sepulcral, porque eu não faço ideia e não me vejo fazendo nenhuma outra coisa. Queria tanto ser inteligente, saber fazer contas e ser engenheira...

Que fique claro que eu tenho prazer em fazer o que eu faço, mas neste momento da minha vida eu tenho outras vontades, outros desejos, outras pretensões que o Jornalismo não vai me ajudar a alcançar. Vai soar banal e simplório, mas o que eu quero é uma família. Comprar um carro, uma casa e ter meus três filhinhos. Como eu sou uma pessoa moderna, já não sonho com o príncipe encantado, logo, meus filhos de produção independente só vão poder contar comigo mesmo.

Peço desculpas se eu ofender alguém que ganha o mesmo que eu ganho. Mas não dá pra colocar gente no mundo ganhando o que eu ganho. E não é um problema da empresa onde eu trabalho. É um problema generalizado no mundo das redações. O trabalho é muito e o salário é pouco. Em qualquer lugar. Em Goiânia, em São Paulo, no Rio de Janeiro. E eu começo a me questionar o que vou ter que fazer para aumentar essa renda. 

Bruna Surfistinha tem a dica????? "Só seis meses, depois eu paro". Vai que..., né?

1 de mar de 2011

Férias no RJ, dias 9 a 12

Acho até meio sem sentido postar meus derradeiros dias no Rio de Janeiro já estando de volta a Goiânia, mas não queria que vocês perdessem a série. Embora muita coisa tenha se perdido, porque é claro que eu não vou lembrar de detalhes nem nada porque já perdi o encanto do "tô de férias", já que daqui a algumas horinhas eu volto pro batente. Vou deixar as fotos falarem por si, pode ser?

No dia 9, uma quinta-feira, Nay e eu passamos a tarde toda no Jardim Botânico. Tenho certeza de que eu morri e fui para o Nosso Lar, porque, sério, dá uma olhada nas fotos e acredite que possa existir um lugar mais lindo que esse. Tô para acreditar.







Na sexta, dia 25 de fevereiro, foi institucionalizado o dia da preguiça. Primeiro que a Nay ficou dodói e segundo que o calorão só faz a gente querer ficar debaixo do ventilador/ar condicionado. Passeio mesmo só no sábado, quando fomos para Petrópolis. Só deu tempo de conhecer a Catedral de São Pedro de Alcântara e o Museu Imperial. Coisa mais linda de Deus esse museu. Se eu pudesse escolher um lugar para morar, seria bem ali, viu? Saca só o "exterior" da house. É óbvio que não podia fotografar lá dentro. =(







No domingo, meu último dia oficial de passeios, tomamos café da manhã no Parque Lage. Ai, gente, sério. Queria que meu desjejum fosse daquele modelo todos os dias. Tive que fazer um cronograma pra dar conta de toda a comida que veio na bandeja. Super café por R$ 25. Achei bão. E fora que o lugar é lindamente lindo, embora a gente tenha tido o azar de ir pra lá justo no dia do Bloco do Suvaco de Cristo, o que fez com que fechassem o Parque Lage para visitação. Só podia ir tomar o café. Pelo menos isso, né? Imagina se a gente anda tudo aquilo no solzão de 36º na sombra e, mortos de fome, descobre que não ia poder comer ali? rs





Depois do café/almoço, despencamos pro Odeon pra assistir Bruna Surfistinha. Eu só tenho uma coisa a dizer: filme podrão. A mensagem é a seguinte: se quiser se prostituir, ok, apenas não use drogas. o.Õ No super fim da noite, meu amigo João Camargo Neto me fez a grande surpresa de me convidar pra dar um rolê e escolhemos a Lapa pq, né? eu sou preguiçosa e não queria ir pra zona sul. rs. Foi ótimo! Ficamos no Bar da Boa, tomando uma Boa e dançando uma ótima. E vcs não vão acreditar!!! Dispensamos o show de Pepê e Neném que tava rolando ali no bar ao lado. Gente fina é outra coisa, prefere ouvir o samba.

Pra finalizar bem finalizadão (gente do céu, que preguiça infinita de escrever é essa?), só me falta agradecer aos meus amigos que tiveram paciência suficiente pra me suportar por todos esses dias, invadindo o seu lar. Queridos Nay e Pedro, a companhia de vocês é sempre impagável. Tomara que o Pedro vá logo trabalhar numa "filial" da Petrobras em... sei lá... Paris? pra eu poder visitá-los de novo! =D

Para continuar lendo:

- Férias no RJ, dias 1 e 2
- Férias no RJ, dias 3 e 4
- Férias no RJ, dias 5 e 6
- Férias no RJ, dias 7 e 8
- Férias no RJ, dias 9 a 12
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...