Páginas

28 de jan de 2011

Comentário bipolar


Então funciona assim: o jornal tem uma página em que todo dia sai uma notinha sobre o BBB e uma pergunta que os leitores mandam respostas por e-mail.

A pergunta de agora é mais ou menos assim: "Você acha que os namoros na casa são pra valer ou é tudo armação?"

Aí uma tia respondeu mais ou menos assim: "Acho que é tudo armação! A Globo tinha é que parar de passar BBB e criar uns programas mais educativos pra televisão".

Oi???!!!

Vamos à análise:

1. É tudo armação?? Tá assistindo, né, tia?
2. Tá vendo BBB e tá acompanhando as notinhas do jornal, né, tia?
3. Tá vendo BBB, acompanhando as notas do jornal e mandando respostinha pra pergunta da vez, né, tia?
4. Você achou mesmo que arrasou no comentário educativo, né, tia??
5. Hahahahahaha

Contradição: a gente vê por aqui.

27 de jan de 2011

Campanha paguem-me um terapeuta


- Você não tem namorado porque não quer.
- Anram.
- Por que você não tem namorado?
- Porque eu sou exigente demais.
- Quanto?
- Tipos muito. Mesmo. Do tipo... desista!

(espaço para inserir o sentimento do quanto eu sou insuportável)

Olha, eu e Did já conversamos N vezes sobre como é importante saber relevar os defeitos das pessoas em razão de um bem maior, que seria conviver com as parcas qualidades de um ser humano. Mas tá tão difícil, mas tão difícil que eu estou falhando. Tipos muito.

Nesse momento, por exemplo, eu desisti de meia dúzia de gatos pingados. Não tô falando de candidatos a namorados. Tô falando de gente. Só... gente que existe. Como meu aniversário tá chegando eu já pensei em convidar todo mundo. Já pensei em convidar só os chegados. Já pensei em convidar só os muito friends. Já pensei em cancelar a comemoração. Pra você ver o nível da preguiça social da pessoa.

A boa notícia é que eu estou tão engajada no Projeto Faça do Defeito uma Qualidade que hoje eu vou visitar uns três bares pra ver qual me oferece a melhor opção. Porque é claro que eu achei que todos eles tinham defeitos imperdoáveis.

E pelo nível do que se tornou esse blog, eu só posso ter a certeza de que está na hora de visitar um terapeuta, porque reparar tanto nos defeitos alheios só pode significar que os meus defeitos estão tão insuportáveis que eu preciso tirar o foco deles.

21 de jan de 2011

Karma


Dizem que quanto mais vc odeia sua mãe, maiores são as chances de seu filho ou filha se parecerem com ela. É um karma. Isso bem acontece com a minha família.

Minha mãe super odiava o jeitão descontraído da minha avó, que adorava um vinho, fazer festas e falar bobagem. Ô véia da boca suja, vou te contar. Minha mãe é bem o oposto dela: sisuda, organizada, antissocial e o palavrão mais violento que já saiu da boca dela foi pra um cara que a fechou no trânsito: "Seu feiooooo!!". Juro. Isso realmente aconteceu.

De tanto minha mãe falar do jeito desparolado de ser da dona Jesuína, nasceu Marlinha, que mais parece ter sido criada com a avó. Eu não tenho absolutamento nenhuma das características sociais dos meus pais. O que a minha mãe tem de menos, o meu pai tem de mais, logo, gosto de me comparar à minha avó, que era o meio-termo dos dois.

Só sei que morro de rir quando algumas amigas vêm passar uns dias em Goiânia e escolhem a minha casa para se hospedarem. Minha mãe tem essa mania de querer ser massa, tipos, "trata bem essas meninas, hein?". Mas pergunta se ela fica aqui? Ela some. Some! rs

Esses dias fui parar no Metropolis sozinha numa sexta-feira. Só sei que eu trouxe o pão no sábado. E ela:
- Foi com quem?
- Uai, ninguém quis ir e eu queria ouvir as músicas que iam tocar, então fui sozinha mesmo.
- Sozinha?
- Anram.
- Quem vai sozinha pra boate é puta atrás de cliente.

OOOOOOIIIIIIIII????????
Capaz que ela também acha que a gente ouve Abba e usa meias lurex, né? Não sei.

Como se isso não fosse suficiente, conto outra:
Saí da redação do jornal, sem um pingo de sono, fui com um amigo prum barzinho. Quando penso que não, o telefone toca, ali por volta das 4h30:
- Maaaaaaaaaaaaaaaarla, onde você está?
- Uai, mãe. Num barzinho com o Fulano. Te avisei, oras.
- Que barzinho??
- Barzinho tal.
- Às 4h30?
- Anram.

Quando chego em casa, por volta das 6h30, ela vem me perguntar se eu tava no motel com o Fulano.
OOOOOOIIIIIIIII????????

Olha, não tá fácil ser eu. Acho que o Rainer deveria reconsiderar e parar de me chamar de recalcada, porque, OLHA, tô achando que eu tenho escola. Mas o medo maior mesmo é quando eu tiver filhos... Vai que..., né?

7 de jan de 2011

Hard news da minha vida

Olha, te contar que fui ler minhas últimas postagens e bateu aqueeeeela saudade das amenidades. Porque, né, estou num momento muito introspectivo - ai, que brega. Sabe aquele momento em que vc percebe que tem tempo pra fazer as coisas que gosta, mas não tem dinheiro pra bancá-las e que assim que arrumar um segundo emprego e uma graninha entrar, não vai ter tempo nenhum pra fazer qualquer coisa que gosta? Pois é.

Mas então... Agora que finalmente chegou um novo sub-editor e meu chefe voltou a contar piadas, posso voltar a gostar do jornalismo-foca que eu faço. Esses dias, um amigo - também jornalista - no auge do stress, me diz pra gente parar de falar de jornalismo. Mas, né, como? Se eu preciso aguardar 19 horas do dia para que possa acontecer alguma coisa na minha vida nas outras 5? Paia não ter vida fora da redação. O auge do meu dia é o trabalho. Bom e ruim, né? Hoje vou deixar todas as considerações pra vcs fazerem internamente, sem nhenhenhe. Cansei. Hoje. Amanhã, não sei.
 

Ontem surgiu o caso de um marido que estava com a mulher de refém dentro de uma casa em Aparecida de Goiânia, ameaçando matá-la e suicidar-se. Bem na hora do fechamento. Porque essas coisas só acontecem nessa hora. Daí fiquei naquele impasse - fazemos, não fazemos, esperamos, checamos... - daí cansei de pensar e fiz o que todo subordinado faz: pergunta pro chefe. Eis a resposta, em tom sério: "Liga lá pro sequestrador e vê quanto tempo ele tá pensando em continuar com essa palhaçada porque eu tenho que fechar um jornal".

Juro que fiquei assim uns 3 segundos olhando pra cara dele achando MESMO que ele tava falando sério, pq, né? Chefe pede, vc tem que resolver. Acho que o sub novo também levou uns segundinhos pra sacar que era piada. Enfim. Bobagem.


Ah, novidadezinha do mal: fui premiada para acompanhar o BBB11 pra escrever pro jornal. Quem curte? Aí no começo rolou aquela vaidade, aquele "ai, nem queria", mas quem tá na chuva é pra se molhar. Agora leio um monte de besteira e me divirto tanto, tanto. Ai, ai, como é bom ser fútil. Às vezes. Então provavelmente vai rolar alguma coisa de BBB por aqui.

Mas como eu sou gente boa demais, sempre que o assunto for BBB, vou colocar no título, que é pra quem não gosta nem perder tempo lendo. Porque eu sei como é não gostar dessa bosta. Legalpracaramba.com.br

p.s.: É. As fotos não tem nada a ver com nada mesmo. Só queria enfeitar com figurinhas. rs
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...