Páginas

30 de set de 2010

Como não votar em ninguém


Aviso aos engraçadinhos: Este blog não apoia absolutamente nenhum candidato.

Mas eu sou eleitora, e algumas coisas me incomodam demais. No meu penúltimo encontro entre amigos chegamos à conclusão de que é preciso conversar mais sobre política. Então vamos lá. #façamos

Eu já fiz as minhas escolhas para presidente, deputado estadual, deputado federal e pra um senador (falta o outro). No entanto, para governador tá difícil, difícil...

Isso porque as opções estão - a meu ver - muito aquém do que merece um Estado como Goiás. Hoje mesmo saiu no O Popular uma pequena entrevista com os candidatos. 20 perguntas simples, para serem respondidas naquele esquema ping-pong.

No item "inimigo", o que a dona Marta Jane (PCB) responde? "Os latifundiários e o agronegócio em Goiás". Isso é resposta que se dê? Muito bonitinho pra ser aplaudido pelos esquerdistas, mas se ela é realmente contra o agronegócio ela tem condições de ser governadora de um Estado que vive praticamente do dinheiro arrecadado com a comercialização de grãos e a venda de gado?

Marta Jane em debate da Band
Essa senhora faz ideia da importância do agronegócio para este País? Ou para este Estado? Daí essa senhora entra no governo e faz o quê? Taxa milhões de impostos para desestimular os produtores ruais, eles não produzem e nós temos que importar todo o alimento que consumimos? É isso o que ela acha que é bom para o nosso Estado? Isso para mim só tem um nome: despreparo.

Eu vou citar apenas de leve mais um caso. Primeiramente, ela apelou com a pergunta de uma repórter e, para mim, quem apela com pergunta já é despreparado por natureza. Ainda mais porque a pergunta era muitíssimo pertinente. Em seu programa eleitoral exibido na televisão, a referida senhora insiste em defender uma única proposta: a melhoria do transporte coletivo em Goiânia. Eu também ando de ônibus, sei a merda que é, mas o Estado precisa ainda de outros cuidados.

Pois bem, a pergunta da repórter era justamente essa: se ela não achava que ficar batendo na tecla do transporte coletivo não era uma coisa muito "região metropolitana" (or something like that), quando o Estado era uma coisa muito mais abrangente. Qual foi a resposta? Qualquer coisa do tipo "se eu estiver falando de mais de um município eu já estou na esfera estadual". De novo eu digo: despreparo.

Os demais

Eu tinha uma fééééé no tal Vanderlan Cardoso (PR)... Mas o homem só me prova despreparo também. Vai ver ele só não é bom de oratória, mas ele não me convence. Como é que um homem que só administrou uma cidade-dormitório tem capacidade para governar um Estado com tantas carências como Goiás? Difícil.
Vanderlan, Marconi e Iris

O Washington Fraga (PSOL) é desses muito apaixonados pela CUT. Já deu, né?

E aí restam Iris Rezende (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB). Só de pensar nesses dois sujeitos já me dá preguiça, muita preguiça. Tanta preguiça que eu acho que eles nem merecem que eu discurse contra a candidatura deles.

*** Se você é um engraçadinho e chegou até esse ponto do texto, me faça um favor: não faça eu perder meu tempo com seus ataques e chiliques nos comentários. Política pode ser discutida, sim, desde que você respeite as minhas opiniões, assim como eu respeito as suas. Você tem REALMENTE bons argumentos? Então vá em frente.

7 comentários:

  1. Mauro Brait30/9/10 16:17

    E aí Marla. Saudades dos seus posts. Não sei mexer no twitter, então vou te importunando por aqui mesmo. Acerca de nossos candidatos... bem... eu... hã? Me recordo de um sujeito de pouca aparência tentando me cooptar na fila de votação. "Hei, você tem que fotar pra fulana, senão vai 'esperdiçá' seu voto". Expliquei pra ele, na boa, que tava votando em outro candidato (violando deliberadamente meu sigilo do sufrágio) por apreciar suas propostas. "Mas ele vai perder. Se ele perde, você 'esperdiça' seu voto!".
    Sendo assim, cara reporter que deve uma rodada de cerva no happy hour, muito cuidado pra não "esperdiçá" seu voto.

    ResponderExcluir
  2. Votar não é fácil. Temos de avaliar propostas, histórico, coerência. E qdo um tem proposta, falta caráter. E qdo tem caratér, faltam propostas. E coerência em geral falta a todos...hehee. A gente bem q tenta votar consciente, mas com as opções que nos dão fica difícil!!! Gostei do post.hehe. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Como sempre, os comentários são o melhor deste blog. Obrigada a todos!

    ResponderExcluir
  4. Eu votei na Marta Jane, porque ela teve coragem de enfrentar o Conin no último debate.
    Foi o único motivo que eu vi para votar em algum candidato ao governo.

    ResponderExcluir
  5. Mas para criticar os candidatos vc tem que ter pelo menos informação, que é uma coisa básica!Vc mostra total desconhecimento da realidade brasileira, goiana e das propostas da candidata Marta Jane (inclusive pela fonte que cita...). Não é o agronegócio que produz o alimento que consumimos em Goiás nem no Brasil, e sim a agricultura familiar. O agronegócio produz soja para a exportação, além de destruir o cerrado e acumular riqueza na mão de poucos...

    ResponderExcluir
  6. A reportagem é rasa, superficial é ofensiva com a candidata Marta Jane. E será que o meu comentário é que será considerado ofensivo????

    ResponderExcluir
  7. Bom, Lukas, vamos lá. Legal vc comentar.
    1° Para sua informação, o texto acima não passa nem perto de ser uma reportagem. É um texto discursivo, que expõe a MINHA opinião, como em qualquer outro blog normal. Se fosse reportagem seria imparcial. Mas eu não sou jornalista 24 horas por dia.

    2° A fonte que citei, o jornal O Popular, é simplesmente o melhor veículo de comunicação que esse Estado possui. Conheço de perto o trabalho do periódico e dos repórteres que nele trabalham. E a resposta (sobre o agronegócio ser seu inimigo) foi ela quem deu, está gravada e não é fruto da imaginação de um jornalista.

    3° As indústrias e o agronegócio são as maiores fontes de renda do estado e do país. É uma riqueza, sim, e é preciso ter um pouco mais de conhecimento do campo - como eu tenho - pra saber que o agrobusiness tem lá seus problemas, mas é muito importante para a balança comercial mundial.

    4° Antes que vc imagine qualquer coisa: não. Eu não tenho fazendas. Nem eu ou qualquer pessoa da minha família.

    5° Para sua informação, o óleo que cozinha o seu arroz, feijão, etc... é produzido em Goiás, subtraído da soja que vc tanto odeia. A carne não preciso nem dizer, né? Agricultura familiar? Só na feira do fim de semana. Ou você acha que o produto vendido no supermercado é de um pequeno produtor de laranjas?

    6° Não concordo com vc que eu tenha desrespeitado a candidata eliminada no primeiro turno. O fato de eu a considerar despreparada não a ofende, segundo a minha visão.

    7° Comente sempre. Debates são sempre bem-vindos.

    ResponderExcluir

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...