Páginas

23 de mar de 2010

Cinto é pra jacu!


Eu acho engraçado como é o trânsito no interior. Pelo menos aqui onde moro (não sou uma grande exploradora de cidades do interior). Ontem eu quase morri/me estrupiei/perdi uma perna. Uma amiga me levava de moto até uma agência bancária, a coisa de 4 quadras da minha casa.

Ela, que é mega prudente pra guiar, nem me deixa com medo de andar de moto - coisa que eu jamais faria em Goiânia, por exemplo. Mas eis que um babacão em sua imponente caminhonete de luxo estava olhando o movimento do barzinho da esquina e não parou no cruzamento que tinha um pare gigante. Resultado: enquanto atravessávamos o babacão quase me acertou na garupa. A sorte foi que ele estava bem devagar e deu tempo de frear. E meu anjo de guarda estava alerta.

Essa amiga esquentadinha foi até bastante fina pra falar com o babacão. Explicou pra ele que quem está de moto está sempre em desvantagem e que ela não merecia um pronto-socorro de presente de aniversário. Ele se desculpou, e disse que também andava de moto. Enfim, mais uma prova de sua infinda babaquice.



Nem vou entrar em detalhes sobre o desrespeito ao sinal vermelho, as ultrapassagens perigosas, a falta de conscientização sobre a faixa de pedestres ou a ignorância a respeito das preferenciais. Aqui cada um dirige como se não houvesse mais ninguém além dele na rua.

O ponto é que além do povo não dar a mínima para a sinalização do trânsito, simplesmente esquece que veículos são armas: matam "facim, facim". Outro grave costume do interior é a rejeição ao cinto de segurança. Já ouvi as histórias das mais estapafúrdias para justificar a ausência do item. A de um é a mais sem noção: ele acha que não deve usar porque usá-lo seria acatar uma imposição (????). A de outra é a mais fantasiosa: ela acredita que se o carro cair num rio ela vai ficar presa pelo cinto. Acho engraçado ela se preocupar com água quando 99% da viagem é feita na terra.
Mas o que mais me incomoda na questão do cinto é que as pessoas aqui criaram uma conotação ruim para usá-lo. Alguma coisa do tipo "só usam cintos de segurança esses babaquinhas da cidade grande", "não tem perigo nenhum". Então as pessoas me jogam seus olhares reprovadores quando eu coloco o cinto, mesmo estando no banco de trás. Vejo claramente em seus olhos: "mais uma babaquinha da cidade grande". Mas foda-se. É a minha vida e só eu posso decidir até onde vai o risco que eu quero correr.

E o vídeo abaixo é um belo alerta para o uso do tal item de "primo da cidade grande". E não tem nada traumático, apenas um alerta muito bem bolado.


3 comentários:

  1. As pacatas cidades do interior estão importando o que existe de pior das grandes cidades e o desrespeito no trânsito é um destes maus costumes. Parece que o status de boçal e imprudente faz o dia de alguns motoristas ser melhor, em detrimento do bem-estar de outros. Te deixo um link para ver outro vídeo sobre o uso de cintos e como uma única pessoa desprotegida pode matar todos os outros ocupantes do carro. o link é:
    http://www.youtube.com/watch?v=wz0EqMMoidQ
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Caraca, esse vídeo mexeu comigo. Não sabia que podia ser assim. Assistam! Agora além de me proteger tenho que convencer as outras pessoas a também usar o cinto.

    ResponderExcluir
  3. Fia adorei o vídeo, muito sucesso. Obrigada por me classificar como uma motociclista prudente, mas de moto isso não é tudo apenas uma garantia de menos acidentes, infelizmente.Saiba que não me perdoaria algo tivesse dado errado, mas que bom que Deus estava do nosso lado na hora. Beijo grande lindona.

    ResponderExcluir

Pra ser avisado sobre uma resposta pro seu comentário, lembre-se de marcar a caixinha de "Notifique-me" ali, no cantinho à direita.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...