Páginas

20 de dez. de 2009

Vai, Planeta!!



Madrugada sempre dá uma nostalgia... Agora, quase duas da manhã, estou assistindo aos meus desenhos favoritos de quando era criança. Daí tive um sobressalto!

Esse fiasco que foi o COP 15  tem uma explicação: ninguém convidou a maior autoridade do meio ambiente para poder discursar: Capitão Planeta! Aposto que se os cinco amigos e seus anéis (Terra, Fogo, Vento, Água, Coração!) estivessem por lá teriam reunido seus poderes e então...

"Pela união dos seus poderes, eu sou... Capitão Planeta!"
Vai, Planetaaaaaaaaaa!

E tudo teria se resolvido.
#ficaadica

p.s.: Pra quem quer ver os 10 melhores desenhos dos anos 80, http://www.youtube.com/watch?v=KIggwWxmk2Y&feature=related

17 de dez. de 2009

Ê, justicinha!



Francamente... Essa Justiça brasileira é uma vergonha, pra não dizer um palavrão.

Essa história do menino americano que perdeu a mãe e cujo pai luta contra o padrasto do garoto por sua guarda está uma verdadeira putaria (desculpem, mas não consigo encontrar outro adjetivo no momento).

Hoje de manhã li no jornal que o pai tinha voltado ao Brasil porque a Justiça havia decidido que os avós e o padrasto tinham até 48 horas para entregar o menino. Já à tarde, rola um habeas corpus e a guarda do garoto volta para os avós e padrasto.

E o homem vem buscar o filho e vai - pela enésima vez - voltar de mãos vazias. Que vergonha! Eu não tenho opinião formada sobre esse caso, mas já estou quase me convencendo que o melhor é que esse garoto tenha a chance de crescer num país com um pouco mais de organização no quesito Justiça.

Pra quem quer ler as últimas notícias sobre o caso, aí vai o link:
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u668233.shtml

16 de dez. de 2009

Em busca de respostas



Longe de mim contestar as ordens dos meus chefes, afinal, é pra isso que eu trabalho: pra cumprir ordens.

Porém, não pude deixar de questionar - várias vezes, eu confesso - a razão de o jornal se interessar em publicar a nomeação do novo bispo da Diocese de Jataí. Como não consegui me convencer da importância do fato, fui em busca de outras e diferentes respostas.

E comecei pelo diretor de jornalismo da TV, a quem eu respeito muito e até chamo de "Mestre". Ele me disse pra imaginar que:

1. A Diocese de Jataí é muito importante pois engloba 27 cidades da região sudoeste do Estado;
2. A Igreja Católica tem o maior número de fiéis no país.

Sinceramente eu acho que a Igreja Católica tá beeeem fora de moda, então me custa entender a importância de uma diocese. Trabalhos voluntários? Outras instituições não-religiosas também o fazem, então teríamos que ter mais espaço no jornal. E dizer que a Igreja Católica tem o maior número de fiéis no país é um tanto questionável, afinal, todo dia abrem milhões de igrejas evangélicas. E a capacidade desse povo de "arrebanhar fiéis" é desesperadamente impressionante.

Logo, respeito a opinião dos editores e do Mestre, que entendem de jornalismo muito mais do que eu, porém ainda não consigo compreender a relevância do assunto. Por que um fato, que só interessa a uma parcela reduzidíssima da população, deveria ser publicado?

Sei lá, mas acho tão demodé falar de religião dentro de um jornal... Se for assim a gente também teria que dar notícias do bispo Macedo, não? Deus me livre-e-guarde! Sei que alguns vão pensar que eu estou dando importância demais ao assunto, mas é sério, fiquei sem entender.

11 de dez. de 2009

Fatality!


Anram, ser repórter tem as vantagens gastronômicas, mas tem também aqueles momentos em que alguém testa MESMO a sua paciência. Fato do dia:

Entra na redação um cara bonachão, que quer falar com fulano, ou siclano, ou beltrano (como quem diz: conheço todo mundo).

- Não, senhor. Nenhum desses chegou ainda. Posso ajudar?

O tal se esparrama em uma cadeira.

- Pois é. O fulano não-sei-de-quê, que é político de não sei que cidade, vai estar em Jataí nesse fim de semana. A rádio já marcou uma coletiva (será que ele sabe o que é isso??) com ele, vocês poderiam aproveitar o gancho e...

- Certo. O político fulano não-sei-de-quê vem fazer o que em Jataí?

- Ah, ele vai falar dessas coisas de fim de ano, né? As coisas que ele fez nesse 2009...

- Anram, e o que ele fez por Jataí?

- Er... nada, né... Mas, então? A gente tem que tentar marcar um horário pra vocês que não atrapalhe a entrevista já marcada pra rádio, tá?

- ...

Cri. Cri. Cri.

Depois do meu silêncio fatality, ele então desiste e vai embora.
Eu mereço, né?

10 de dez. de 2009

Eu gosto de eventos

Imagem meramente ilustrativa

Primeiro porque quer dizer que "algo" acontece na cidade.

Segundo porque sempre é no único hotel decente da cidade (que é muito bom, diga-se de passagem).

Terceiro porque sempre tem lanchinhos mega deliciosos e, quando tenho sorte, tem até almoços/jantares!

Ser repórter tem suas vantagens, mas se vc é repórter e gordinha, não há do que reclamar!

9 de dez. de 2009

O circo


Ou a Câmara, como preferirem.

Fade in. Marla e outra repórter chegam à Câmara Municipal para cobrir a votação do orçamento de 2010, marcada para as 14h.

Pessoal da Pastoral da Aids, incluindo o padre, usa o plenário para discursar. Blá, blá, blá. Presidente da Câmara desconhecia o fato de que Jataí é o segundo município com o maior número de casos registrados de Aids no estado. (Com certeza ele não lê nem vê jornal)

Presidente canta "Como é grande meu amor por você" e é acompanhado pela plateia, digo, pelos presentes. Cantora contratada sobe e continua a cantoria. Entram Papai Noel, Mamãe Noel e Netinha Noel, que sentam à frente dos vereadores e balançam os bracinhos. Três ou quatro músicas de Natal são reproduzidas pela cantora ao lado do púlpito.

Enquanto isso, a amiga repórter descobre o talento de cartunista. Desenha todos os personagens interessantes presentes na Câmara: um vereador, o bom velhinho, o homenageado, a repórter que vos fala e até o cinegrafista.

Próxima pauta: homenagem a um professor. Nada contra o professor, quero ressaltar. Alguém lê sua história e é corrigido, ao vivo, pelo dono da história. Alguém entrega uma placa. Um vereador fala, e chora emocionado. Outro vereador o mesmo. E isso se repete cerca de dez vezes.

Chego no assessor da Câmara: e aí, o orçamento vai ser votado hoje ou não?
"Vai, daqui uma meia hora".

Anram... me engana que eu gosto.

Às 17h eu e repórter amiga pegamos os desenhos e vamos embora.
Fade out.

8 de dez. de 2009

Agora eu entendo


Bem que me disseram que jornalistas são boêmios. Eu, como ainda não tinha me tornado uma, acreditava que isso era conversa pra boi dormir. Mas, com 4 meses de jornalismo diário, pude perceber que ser boêmio não é uma opção, é praticamente uma necessidade.

O fato é que às vezes a pressão diária é tão forte, vc tem que entender de tantos assuntos em tão pouco tempo, e deve ser meio expert pra poder explicar pros outros aquela coisa que há 30 minutos vc nunca sequer tinha ouvido falar... Isso mesmo, mais uma daquelas pautas do campo!

E aí quando a amiga diz em plena terça-feira "vamo tomar uma cervejinha?", vc nem pensa em recusar. Não dá, é preciso libertar a mente aprisionada por milhões de ligações elétricas formadas por neurônios mega agitados.

A cervejinha nossa de cada dia não quer dizer que vamos nos embebedar todos os dias, mas que ela tem o poder de relaxar, tem. E como tem. Tô até mole! Rsrsrs Tá que hoje é terça, perdoem-me os incrédulos e também a antiga Marla, que achava impossível beber qualquer coisa alcóolica antes de sexta-feira, às 21h. Mas o fato é que amanhã tem mais. E vai ser política, votação do orçamento.

Alguém quer me mandar pro campo?????

Muita coisa na cabeça


Eu não sei vcs, mas já percebi que tenho uma enoooooorme dificuldade pra fazer várias coisas ao mesmo tempo.

A primeira constatação é que demoro o quíntuplo do tempo para fazer qualquer uma das coisas pendentes.

A segunda constatação é que como fico pensando numa e outra coisa ao mesmo tempo, acabo não tendo foco em uma só e fica meio superficial.

A terceira constatação é que isso também acontece com minhas pautas!!! Argh!!!

Pense numa pessoa que tem tipo... 5 pautas complicadas de desenrolar e um texto por redigir. Do campo! (é, matérias do campo SEMPRE dão mais trabalho)

Então o post é pra perguntar: alguém tem uma fórmula mágica pra dar conta de tudo ao mesmo tempo?? Sério, já to até sonhando com as pautas, isso não deve ser normal... Tsc, tsc, tsc.

3 de dez. de 2009

A dura arte de ser uma foca


Diário de bordo, 03/12/2009.

Como eu odeio ser tão foca! Eu tenho certeza que estava com uma pauta bombástica na mão hoje. Porém, por não saber direito como agir, exatamente o que apurar, acabei ficando com uma notícia superficial, sem informações que pudessem servir de alicerce para a reportagem.

Daí foi decidido que os vários lados dessa história não seriam publicados pelo jornal. Entendo, claro. Mas queria mesmo ter ido fundo, porque a qualquer momento - caso seja verdade - esse negócio vai estourar na mão de gente muito poderosa, e é claro que eu queria ser a dona dessa reportagem, né? Rsrsrsrs

O problema é: é verdade? É boato? É só alguém dando alarde pra algo que não tem nada a ver? Enfim... É preciso esperar. E essa espera mata. Os jornalistas, é claro...

Fim do desabafo da foca perdida.
Próximo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...