Páginas

30 de jul de 2009

E a ética, cadê?


Falar sobre ética é um procedimento muito complexo e, às vezes, muito pretensioso e pedante. Apesar disso é fato que deveríamos dar mais atenção a esse assunto. Ética é importante para o dia a dia, para o caminhar da sociedade. Sem ética um país pára, estagna. Há mais ou menos uma semana assisti a um documentário de 1991 que falava sobre ética em vários aspectos. Por exemplo, por que as pessoas se acham no direito de comer alimentos dentro dos supermercados e não pagar? Ou por que mente-se tanto nos classificados para vender carro ou casa? No anúncio é um palacete, na real um casebre. Resposta dos "pegos no flagra": quem não é esperto, dança.

Pra um documentário de 1991, ele me parece bastante atual. E isso me incomoda, pois gostaria de ver as coisas melhorando, se dignificando. Eu queria ter orgulho da sociedade em que vivo, mas definitivamente eu não tenho. E isso piora bastante quando se está longe do Brasil. Eu tinha vergonha de ser brasileira em Portugal, pois, acreditem, se existia um crime, uma "burlada" no sistema ou coisa do gênero o culpado era sempre um brasileiro.

Levar vantagem é coisa de brasileiro. Só no  Brasil as pessoas se orgulham de levar vantagens nas coisas - nesse sentido de malandragem. Na Europa, por exemplo, se fizerem e forem pegos, escondem o rosto por vergonha. Mas aqui criança aprende desde cedo que deve empurrar o lanche ruim em troca do lanche gostoso do coleguinha ou que deve colar se preciso for para poder passar de ano.

Em Portugal não há catracas nos ônibus. Você entra, passa o bilhete e pronto. Vez ou outra um fiscal confere os bilhetes dos passageiros. 100% das vezes em que presenciei um "flagra" o burlador do ônibus (autocarro) era um brasileiro.

Além disso, os motoristas sempre dão "bom dia" e estão dispostos a ajudar. Não é preciso tumultuar a porta de saída com medo de passar o ponto e o motorista não esperar. Lá você pode continuar sentado até o ônibus parar por completo e abrir a porta. Não há pressa, pois ele sabe que alguém vai descer. Várias vezes presenciei situações em que o motorista saía de seu confortável banco para ajudar uma velhinha a subir ou descer do ônibus. E achando bom. Aqui no Brasil já vi inúmeras vezes velhinhas quererem descer na Santa Casa e serem esmagadas nas portas porque os motoristas não queriam esperar.

Bom, mas isso são apenas pequenos exemplos. O que quero dizer é que o Brasil está longe, muito longe de ser uma sociedade ética ou realmente educada, porque aqui só tratamos bem os "gringos". A mudança se faz na cabeça e na postura de cada (único) brasileiro. É muito fácil reclamar dos políticos que estão lá fazendo toda aquela caca. E você? É realmente ético? 

Comece mudando as suas atitudes. Depois você passa a dica pro colega mais próximo. Só assim tenho esperanças de ser uma velhinha vivendo em uma sociedade um pouco mais adiantada no quesito ético. Como diz o Pasquale, "é isso".

21 de jul de 2009

TV aberta, caca na certa


Depois de um ano e meio é mais do que justo tirar algumas férias... Mas vou me lembrar de organizar alguma viagem para o meu próximo descanso remunerado. Se não fosse esse computador e uma internet bacaninha ligada a ele eu tenho certeza de que já estaria completamente maluca.

Não dá pra assistir tv, pelo menos não a tv aberta, disponível a todos os mortais. Uma meia dúzia de canais transmitindo programas vazios, estúpidos e fúteis. Juro que não consigo passar mais de uma hora em frente à televisão, e normalmente esse período é apenas para que eu passe o tempo fazendo outra coisa, como comer ou fazer as unhas, por exemplo.

Agora mesmo desliguei a tv depois de zapear por alguns canais. Cito, porque merecem ficar envergonhados. Na RedeTV! estava passando o programa da tarde (que não sei o nome...) e uma matéria sobre o vitiligo de Michael Jackson; convencendo a tudo e a todos que MJ realmente sofria com a doença, que ele nunca mentiu sobre seu problema, que os veículos de comunicação deviam ficar envergonhados de duvidar de alguém que sofria com uma doença tão grave, provando por fotos e mais fotos os períodos em que o astro do pop começou a apresentar manchas em sua pele. Ah, e o mais importante: que a matéria que eles estavam apresentando era muito importante para o telespectador porque ao invés de fazer sensacionalismo, estava informando à população. Anham... vai saber quanto tempo aquela matéria ficou no ar...


Inconformada, mudo para a Globo. Sessão da Tarde e mais um daqueles filmes bobos, que mostram famílias tipicamente americanas e seus dramas que nunca mudam... Canso em 5 minutos.

Record é a próxima da lista. Não sei quem é o apresentador nem o nome do programa. Só sei que tinha uma tal Mirela (parece que é a mulher do Latino que saiu de "A Fazenda". Informada, não?) atravessando uma "ponte" improvisada a vários e vários metros do chão, amparada unicamente por uma dessas cordas de bung jump (é assim que escreve?). O detalhe é que tinha um logotipozinho no canto da tela informando "ao vivo". Mas eu tenho certeza de que vi essa mesma cena mais cedo, no Hoje em Dia. Mistééééééério....

Next. SBT. Ah, esse é piada mesmo. No ar, o programa que era da Volpato e agora está com a moça do "Alô, Christina", o Casos de Família. Primeiro "caso" do dia: uma mulher, provavelmente uma prostituta, cuja filha sentia vergonha do jeito de ser da mãe. Mal entra a menina de 19 anos - que mais parece mãe da mãe - e começa o barraco. Nem deu tempo de ver quem ficou com menos cabelo no pega-pá-capá.

Daí desisti, ? Porque ninguém é de ferro. Será que é por isso que as nossas "donas-de-casa" são tão alienadas? Porque deve ter alguém que assiste, não? Senão o programa não estaria no ar: sem ibope, vai pra geladeira. Alguém tem os números do Ibope? Quantas milhares ou milhões de pessoas assistem a essas porcarias? Vou tentar encontrar e volto depois pra contar.

------------------------------------------------------------------------------------------------


Achei. Números do Ibope (média):

A Tarde é Sua (RedeTV!): 5
Sessão da Tarde (Globo): 20 (achei duvidoso esse número)
Geraldo Brasil (Record): 9
Casos de Família (SBT): 4

Encontrei vários números pra saber quanto vale cada pontinho desses. Descobri que a conta é complexa e varia de acordo com o estado, então vou adotar cada ponto valendo como 60 mil pessoas. Isto quer dizer que pelo menos 2,3 milhões de pessoas estão assistindo a essa porcaria, já que o valor pode ser maior dependendo de quantas pessoas se encontram "na sala" vendo tv. Diz uma pesquisa do IBGE de 2007 que somos no Brasil 183,9 milhões de pessoas. Se formos comparar, o número de pessoas que assistem TV no período da tarde pode parecer ínfimo, mas deve fazer um grande estrago nas famílias de classes C e D, não?

17 de jul de 2009

Como é possível odiar a internet


Desde que, finalmente, consegui instalar a internet aqui em casa tenho tido sucesso em minha vida virtual. Quero dizer, estou conseguindo me virar bem por aqui, conhecendo programinhas super legais e maneiras intensas de me manter informada sobre tudo - o sonho de 10 a cada 10 jornalistas. Acontece que tem uma coisa que vem me tirando do sério: a falta de informação sobre coisas realmente básicas.

Por exemplo, como manter a velocidade dos downloads que faço? Os vídeos, que demoravam cerca de 40 minutos para baixarem estão levando agora mais de 3 horas e às vezes, a velocidade vai baixando, baixando até perder-se completamente e lá se vai para o lixo o arquivo que já estava 90% baixado. Alguém tem alguma dica para conseguir me livrar deste problema??

Outro caso: descobri um programa sensacional chamado Evernote (www.evernote.com), que permite você organizar seus arquivos, criando pastas com informações em comum que são uma mão na roda para jornalistas que sempre precisam de um banco de dados eficiente. Além de ser grátis, esse programinha pode ser acessado online (de onde você estiver), pelo seu celular, pelo seu desktop em casa ou ainda pelo pendrive, funcionando perfeitamente offline. E a mágica maior acontece quando você acessa a internet, pois todas as informações novas que você postou serão sincronizadas, evitando que você tenha que fazer o santo "ctrl+C e ctrl+v" a cada vez que adicionar algo às suas pastas.


Tudo lindo, achei o máximo! Acontece que no modelo online é possível escrever na caixinha de texto, mas no modelo desktop você tem que "escrever" com o mouse porque simplesmente não tem entrada pra texto digitado. Além disso, tive problemas mil pra conseguir salvar as notes que faço no modelo online. O que toda pessoa normal faz? Procura um tutorial na internet. E assim o fiz.

Acreditem vocês que não existe um tutorial explicando a coisa mais simples do Evernote: adicionar notes. Não, não existe. Existem tutoriais mil, explicando as coisas mais complexas e absurdas que o Evernote faz, como sincronizar e adicionar links apenas apertando um botão, como utilizar o programa para gerenciar um blog, como adicionar arquivos diversos nas suas notes, mas... COMO SALVAR NOTES, não existe. Nesses momentos eu me sinto realmente burra. E ah... isso me incomoda pracaramba.com.br.

Custa fazer um tutorial com a coisa simples??? A mais simples de todas? Se é um tutorial não deveria ter todos os passos? Quer dizer, o manual de instruções de qualquer celular explica como ligar/desligar o mesmo, por que não ter "como adicionar notes" em um tutorial?

E vocês? Também morrem de ódio quando não encontram algo realmente simples? E mais: alguém sabe como adicionar notes no Evernote?? Porque daqui a alguns dias esse programa vai se chamar "Nonote" para mim...

8 de jul de 2009

Ah, eu quero um Nokia N85!


Com um celular que tem a tela verde fica difícil convencer o Danilo Gentili de que eu o sigo no twitter sem nenhum interesse... ham... Pelo menos é o que eu quero que ele pense! =D

7 de jul de 2009

Lazy blog


Isso é porque a intenção era publicar um post novo todos os dias. Mas já vi que é fisicamente impossível, afinal, eu tenho vida fora da internet (ainda bem!). Prometo melhorar isso aqui quando entrar de férias, logo, logo. Enquanto isso, divirtam-se com videozinhos toscos roubados do twitter!




Esse é pra quem entende português de Portugal:




Essa boca aí tá muito suja pra rede nacional!




E quando você pensa que já viu de tudo...

2 de jul de 2009

E lá se foi meu primeiro ídolo


Eu sei que o assunto Michael Jackson já está mais do que batido, mas só agora, depois do luto de uma semana, é que consigo raciocinar sobre a morte daquele que foi o primeiro artista de quem eu realmente gostei. É que eu sempre fico aérea quando o assunto é: morreu alguém que você gosta. Parentes podem comprovar...

Ontem, numa conversa de bar, percebi que eu era a única que não tinha sido influenciada musicalmente pelos meus pais. E enquanto meus amigos discutiam se o Inter ainda faria os 3 gols e quem havia sido expulso por último, pude constatar que tudo o que eu gosto de música é o que eu, de fato, escolhi. E MJ foi o primeiro deles.


Lembro-me perfeitamente dos meus argumentos para convencer a minha avó a deixar uma criança de 8 anos ficar até tarde em frente à tv pra poder assistir o filme Moonwalk: "mas .... é Michael Jackson!".

Sei lá, mas aquela voz inconfundível, aquela dança inconfundível, aquele nêgo do sorriso bonitão (é, eu sou fui descobrir a versão monstrenga muito depois)... Sempre fui apaixonada por MJ, do meu jeito musicalmente largado de ser. E estava animada com a possibilidade de vê-lo nos palcos outra vez (por DVD, gente, por DVD - que eu ainda não tenho cacife pra viajar só pra ver um show), mas a morte tão prematura do meu astro me deixou abalada. E com raiva, muita raiva.

E aí o que a gente faz quando fica com raiva? Põe a culpa em alguém! E eu digo: o que matou MJ há muitos e muitos anos foi seu pai, um homem cruel, mau, vil, manipulador e oportunista. Meu Deus, o homem anuncia que está abrindo uma gravadora ao mesmo tempo em que diz o dia do funeral de seu filho mais talentoso. Como pode?

Como muitos devem saber, little Michael foi "enfiado" no Jackson Five quando tinha apenas 5 anos de idade. Durante 10 15 anos ele apanhou de seu pai cada uma das vezes que errou durante o ensaio do grupo musical. Little Michael tinha tanto medo de seu pai que chegava a vomitar de tanta ansiedade. Isso talvez explique por que MJ - que não teve infância - era tão aficionado por não crescer, por Neverland, por Peter Pan e por crianças. Ele sempre dizia que queria ser para seus filhos exatamente o contrário do que seu pai foi para ele.

Quando chegou à adolescência, MJ sofreu com as espinhas que estragavam seu rosto. Enquanto isso os fãs perguntavam "where's little Michael?", ávidos por ver o irmão mais talentoso e mais bonito do JF. Quando se deparavam com o "teen Michael" ficavam horrorizados, deixando o pequeno, já num período tão complicado da vida, completamente traumatizado. Enquanto criança era muito amado e agora adolescente ninguém o achava mais cute? Eu também ia gostar de virar Peter Pan.

The damned Joseph, o pai nojento, começou a encher a cabeça do adolescente com um monte de abobrinhas: que ele era feio, que seu nariz era largo demais, que ele não podia ser da mesma família, "oh Deus", como ele era horrível! E o que aconteceu? Michael começou a primeira das operações que anos mais tarde desfiguraria seu lindo rosto (sim, eu achava lindo!): afinou seu nariz. E se tivesse parado por aí... ah, se tivesse...

Mas não, MJ não conseguia se olhar no espelho, nunca gostava da imagem que via, estava sempre insatisfeito com sua aparência e se transformou numa face monstruosa. Eu não vou citar o vitiligo, pois não acredito que ele tenha tido a ideia de virar "branco". Acredito que algo realmente aconteceu e que o tratamento deu no que deu: um negro lindo que virou um branco estranhíssimo.

Quanto às acusações de abuso sexual de menores, não acredito de todo em nenhuma das partes. Não duvido que Michael possa ter feito alguma coisa infantil (aos olhos dele) com essas crianças, mas acredito muito mais que as famílias inventaram uma situação para poder extorquir o rei do pop. Vejam bem, se essas famílias realmente tivessem índole, eles não permitiriam que MJ continuasse molestando crianinhas ao invés de ser preso. Mas o que elas fizeram? Aceitaram um "acordo" de vários milhões de dólares. Isso é postura de gente correta? Eu não acho.

O fato é que a morte de MJ ainda me abala. Vi o vídeo onde ele aparece ensaiando dois dias antes de falecer e me deu um aperto imenso no coração. Perdi meu ídolo, e ele ainda tinha muito gás para dar a seus fãs. Mas ele mesmo queria era descansar, queria dormir e fez, inconscientemente, a sua vontade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...